31 de dez de 2010

Viva 2011!

Balanço da Mendes do ano que finda.

> Prêmios de Criatividade Publicitária conquistados em 2010:

- Prêmio Design Norte Nordeste.

- 2 Ouros e 1 Prata no Voto Popular.

- 2 Finalistas no Creativity.

- 3 Finalistas no Galaxy Awards.

- 6 Finalistas e 2º lugar no Prêmio Diário do Pará.


Total de prêmios conquistados pela Mendes, até hoje – 671 prêmios, mais de 1 por mês nos 49 anos de atividade da Mendes. 220, internacionais.

Somos a única agência fora de São Paulo premiada com o Caboré de Agência do Ano do Brasil, em suas 31 edições.

E uma das 7 Agências do Brasil listadas em todas as 20 edições do ranking das Hot Tops – as Melhores Agências do Brasil (About).

Somos a Agência brasileira mais premiada no Creativity

Fomos a primeira do Brasil a ser premiada pelo Art Director´s de Nova Iorque.

Ganhar prêmios é bom. É o reconhecimento de que estamos trabalhando bem, gerando excelentes resultados para os nossos Clientes.

Ø Somos 33 profissionais, 2 a mais do que éramos em 2009.

Ø 25% tem mais de 20 anos de Casa.

Ø Em 2011, a Mendes celebrará os seus 50 anos. Existem mais de 3.000 agências certificadas pelo Cenp em funcionamento no País, mas apenas 20 com mais de 40 anos. Metade - a Mendes entre elas -, com meio século de funcionamento. Apenas 10 agências em mais de 3.000!


Nenhuma empresa sobrevive a tantas moedas e tantos planos econômicos, tantas crises nacionais e mundiais, até a um regime ditatorial, se não for boa no que faz, se não tiver conteúdo nem sangue nas veias.

Imaginem o que era criar e produzir publicidade antes da internet, antes do telefone de verdade, antes dos fornecedores locais, quando a gente produzia no Rio de Janeiro até os clichês que antecederam o bom fotolito, já fora de moda. Nossos anúncios iam e vinham nas asas da Panair e da Paraense, nossa cliente, e algumas vezes foram parar em Havana e Buenos Ayres, nos aviões seqüestrados, nos anos de chumbo da ditadura militar. Vivemos a censura – impiedosa e burra. E até o nosso bom Cheque-Ouro criado para o Banco da Amazônia foi proibido pela instituição que fazia as vezes de Banco Central na época, porque poderia induzir a erro...algum usuário, que poderia entender que ele tinha lastro ouro, bobagens assim. Anos depois, outro banco relançou o Cheque-Ouro...

A Mendes tem uma história de competência, ousadia, teimosia, criatividade e muita garra. Um dia, ela vira livro.

Votos de um maravilhoso 2011. O Ano 50 da Mendes.