11 de jun de 2012

O Cartaz do Círio.

João Carlos Pereira – Jornal A Voz de Nazaré

A pouco mais de quatro meses da realização da grande procissão em honra de Nossa Senhora de Nazaré, a cidade já começou a viver o chamado  “clima do Círio”. O ponto de partida foi a apresentação, semana passada, do cartaz. Assim que a peça, criada pela Mendes Publicidade, tornou-se pública, as pessoas foram tomadas por um só e mesmo sentimento de encantamento: o cartaz não apenas é belíssimo, como entrará para a história como sendo uma dos mais bonitos de todos os tempos.

Preparar um cartaz, anualmente, a partir de uma única idéia e transformá-lo em uma proposta, ao mesmo tempo estática e religiosamente renovadas, não é tarefa fácil. Os criadores do cartaz sabem que terão de usar, obrigatoriamente, a mesma “modelo”, que é a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, coberta com o manto usado no ano anterior. O que se verá no fundo, ou ao lado, será um extraordinário exercício de criatividade, visto que não pode ser, apenas, um cenário ou um elemento de decoração.  É preciso que haja uma íntima ligação entre a Senhora e o sentimento de fé que aproxima as pessoas.

O cartaz do Círio é bem mais do uma peça publicitária, criada para divulgar a procissão. Ele possui uma dimensão igualmente devocional e as pessoas o recebem como se fosse a própria imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Na impossibilidade de tê-la em casa ou no trabalho, fica-se com a réplica ampliada. As pessoas gostam tanto do cartaz, e ele é de tal modo importante, que permanece afixado em diferentes ambientes, o ano inteiro. Mesmo depois do Círio, as pessoas o mantêm no lugar onde o colocaram, até que possam substituí-lo pelo novo.

O deste ano traz a marca do talento (eu diria melhor: da genialidade) de Luiz Braga e de Guy Veloso, e a assinatura, igualmente genial, da Mendes, que não apenas sobrepôs imagens, mas reconstruiu, a partir de duas fotos,  o Círio que trazemos impresso no coração.