2 de set de 2011

A GUERRA DOS NEURÔNIOS

SOBRE CERTO GRANDE ACONTECIMENTO NA PROPAGANDA

Estou brigando com a tela em branco de meu monitor faz um tempão. Já escrevi um sem número de frases, já deletei tudo, não sei quantas vezes. É um debate entre os neurônios, ou melhor, um embate entre eles. Tudo que escrevo é logo condenado por outro lado do cérebro e lá vai a ideia jogada pela janela do pensamento. Essa confusão toda é para escrever um texto sobre um grande acontecimento da propaganda paraense. Mas grande mesmo, grandão. Um momento histórico de verdade pelas ruas de Belém.

Começa hoje o mês de aniversário de fundação da Mendes Publicidade, que recentemente passou a ser Mendes Comunicação. No dia 6/9 completa 50 aninhos, com corpinho de adolescente e a cabeça desafiante dos jovens. Mas a matriz pensante continua a mesma desde aquele audacioso 1961, embora atualizada, modernizada, repaginada, revitalizada a cada dia, em link permanente com a comunicação mais atual, mais objetiva, mais resultativa. Essa matriz pensante se chama Oswaldo Mendes.

Vou fazer o seguinte: ceder este espaço ao jornalista Armando Ferrentini, o decano dos colunistas de propaganda do Brasil, que há muitos anos comanda a Editora Referência, que edita as revistas Propaganda e Marketing e o jornal Promark – Propaganda e Marketing. Ferrentini é praticamente o inventor do colunismo publicitário no Brasil e do Prêmio Colunistas, um dos mais respeitados reconhecimentos à competência na propaganda brasileira nas últimas décadas. Pois bem, ele escreveu um editorial na revista Propaganda de agosto que é juntíssima homenagem às conquistas da Mendes e do Mendes:

clip_image001

O texto do Ferrentini é este:

Há outra agência, bem distante de São Paulo, que merece todo reconhecimento do mercado, neste momento em que está prestes a comemorar (em setembro) 50 anos de atividades ininterruptas.
Trata-se da Mendes Publicidade, de Belém do Pará, que ensinou o mercado local a melhor conhecer o ferramental publicitário.
Para muitos empresários da região, a Mendes foi sua escola de propaganda, pela qual aprenderam a agregar o valor e a importância da (boa) comunicação aos seus negócios.
A figura humana de Oswaldo Mendes – fundador da agência e seu presidente até hoje – é cativante. Além da sua competência dirigindo por cinco décadas a Mendes (e o leitor pode compreender o que isso representa em uma região distante do Sudeste e do Sul do país), “sêo” Oswaldo é daqueles sujeitos que você conhece e quer prosseguir com a amizade, certo de que isso lhe fortalecerá o espírito.
Oswaldo Mendes é um dos meus tipos inesquecíveis.

Aí só me ocorre escrever: “assino embaixo”, com muito carinho, reconhecimento e agradecimento. E uma raiva danada do Ferrentini ter escrito isso antes. Sei que tem neurônio dando cacetada aqui na cachola por causa do clichezíssimo “assino embaixo”. Acho que foi o coração que mandou escrever – e que se danem os racionais neurônios!

Essa história de que “Oswaldo é daqueles sujeitos que você conhece e quer prosseguir com a amizade, certo de que isso lhe fortalecerá o espírito” é Bingo!, foi demais. Perfeita descrição.

Conheço a Mendes por dentro, de relacionamento, nos últimos 41 anos – antes já havia um namoro unilateral, à distância, platônico, dizia-se. Trabalhei lá 8,5 anos, nos 1970. Já contei essa história nestas linhas virtuais. Pelos 80 anos de Oswaldo Mendes escrevi “Ao mestre da comunicação, carinho”, que você pode ler clicando aqui.

Parabéns para essa equipe que trabalha firme por uma comunicação em altíssimo nível, que é um dos bons motivos para a gente ter orgulho de ser paraense.

Fernando Jares Martins

www.pelasruasdebelem.zip.net